Estudantes da capital visitam patrimônios históricos da Praça dos Girassóis

22/09/2011 - 07:47 - Cleide Veloso

Tharson Lopes

No hall do Palácio Araguaia, estudantes observam os painéis ‘Lutas’ e ‘Conquistas’, que fazem um resgate da história do Tocantins desde o século XVI até a construção da capital Caminhando pela Praça dos Girassóis a equipe da Secult apontou o significado de alguns símbolos indígenas presentes no percurso até o Monumento dos 18 do Forte No Memorial Coluna Prestes, os estudantes viram de perto objetos e utensílios utilizados pelos integrantes da Marcha de Luiz Carlos Prestes pelo Brasil Maquete da Praça dos Girassóis é analisada pelos estudantes do CEM Santa Rita de Cássia

Na manhã desta quarta-feira (21), a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), através de sua equipe da Superintendência de Patrimônio Material e Imaterial conduziu os alunos do Colégio do Ensino Médio – CEM ‘Santa Rita de Cássia’, do setor Aureny I de Palmas, a uma visita aos patrimônios históricos da Praça dos Girassóis.

A iniciativa do professor de filosofia e sociologia da turma do 3º ano do ensino médio, Antônio Carlos Sousa Silva, proporcionou aos alunos a oportunidade de prestigiar, no hall de entrada do Palácio Araguaia, os painéis ‘Lutas’ e ‘Conquistas’ do artista plástico DJ Oliveira, que fazem um resgate da história do Tocantins desde o século XVI até a construção da capital. Surpreso com o preparo técnico e a calorosa recepção da equipe da Secult, Antônio Carlos contou o que motivou o trabalho de campo. “A iniciativa partiu da necessidade de levar mais conhecimento da cultura do Estado para nossos alunos. Com o trabalho de campo, o acesso à história amplia a visão do estudante e o objetivo está sendo atingido, pois percebemos que a secretaria conta com uma equipe amplamente preparada e comprometida com a memória cultural”, afirma o professor.

Caminhando pela Praça dos Girassóis a equipe técnica da Secult apontou o significado de alguns símbolos indígenas presentes no percurso até o ‘Monumento dos 18 do Forte’, onde o grupo recebeu informações sobre a Marcha da Coluna Prestes e sua importância no contexto da história do Tocantins e do Brasil. Em seguida, no Memorial Coluna Prestes, os estudantes observaram de perto objetos e utensílios utilizados pelos integrantes da marcha e receberam informações de uma das guias, Maria de Jesus, que conduziu os alunos até o Teatro de Bolso.

No teatro, a historiadora e técnica da Superintendência de Patrimônio Wanja Maria Piagen ministrou uma palestra onde falou sobre a importância da preservação da memória. “É importante sempre termos os jovens preservando o patrimônio, porque revisitar a memória é fundamental para formação da nossa identidade”, concluiu a historiadora.

Finalizando o encontro, a assessora especial do Patrimônio Histórico da Secult, Joana Euda, esclareceu aos alunos que há uma nova concepção de museu. “Hoje museu não é mais apenas lugar de relíquias, mas de releitura da memória”, afirmou Joana, que propôs um desafio aos visitantes, a realização de uma pesquisa sobre a biografia do arquiteto Oscar Niemeyer, sobre as linhas de suas criações arquitetônicas com seus significados e a produção de uma mostra para enriquecer o conhecimento do grupo e multiplicar o conhecimento para toda a escola.

Compartilhe esta notícia: